Heróis e Anti-Heróis – uma reflexão

A partir do convite do Grupo de Contos, tendo como norteador o tema – heróis e anti-heróis –  a psicanalista Liliana Soibelman propõe algumas reflexões:

leituras compartilhadas

“Umberto Eco sugeriu que o público culto deveria oferecer tanta atenção às histórias em quadrinhos (HQ), quanto às óperas, para que se pudesse estudá-las sem preconceitos.

Ao atendermos crianças e adolescentes, em terapia, precisamos conhecer os assuntos de seu interesse. Buscamos compreender o material simbólico, que pode se apresentar através de associações, de sonhos, desenhos, brinquedos, histórias ou filmes que nos contam…
Independentemente do gênero literário, podemos analisar o conteúdo das histórias a partir do referencial psicanalítico. Procuramos compreender os heróis das HQs sob vários aspectos, desde sua criação na virada do século XX , sua evolução e transformações ao longo do tempo, chegando aos dias atuais.”

Estimulados pelo anti-herói “Deadpool“- personagem  de HQ, que virou um filme -, Liliana e o Grupo de Contos pretendem debater diferentes aspectos relacionados aos super- heróis e anti-heróis na atualidade.