ERA UMA VEZ…

maxresdefault

Era uma vez a escuridão e o frio. E o medo.

De repente, a luz da lua iluminou tudo. Ela era tão brilhante e grande!

Parecia espantar a escuridão, e quando fez isso, o medo desapareceu.

E então emergiu de um lago congelado, Jack Frost, um rapaz que não sabia nada de si. Só o seu nome que a lua lhe disse.

Sozinho, ele então arranjou um jeito de se divertir deslizando sobre o gelo. Logo encontrou um cajado que congelava tudo o que tocava e o fez voar. Jack achou isso incrível e ficou maravilhado! Voando Jack foi se distanciando e aterrissou, ainda meio sem jeito, em uma aldeia cheia de neve. Ele cumprimentava as pessoas feliz, mas ninguém o via. Tentava falar com uma criança que o atravessou e ficou perplexo ao constatar que era invisível.

Ninguém respondia a Jack onde ele estava.

300 anos depois…

No Polo Norte, Papai Noel estava trabalhando em sua fábrica de brinquedos.

Num salão principal havia um globo terrestre enorme cheio de luzinhas.  Papai Noel olhava para o globo quando percebeu que estava havendo alterações na terra. De repente, uma sombra de areia negra tomou conta de tudo e depois apareceu um ser sombrio dando risadas e desparecendo.

Papai Noel se perguntava: “será possível? ”

Pediu a um de seus ajudantes para preparar tudo, pois teriam visitas. Papai Noel chamou todos os Guardiões: a Fada dos Dentes, o Coelho da Páscoa e o Homem de Areia, que era todo dourado.

Papai Noel disse que o dever dos Guardiões sempre foi cuidar das crianças e zelar por elas. Levando encanto, esperança e sonhos. Por isso, chamou-os todos porque as crianças estavam em perigo.

Um inimigo que mantiveram longe por séculos, resolveu voltar; e apenas eles não poderiam detê-lo.

– O Bicho-Papão esteve aqui no Polo!  Avisou Papai Noel.

– O Breu? Perguntou a Fada dos Dentes.

Noel falou que ele estava tramando alguma coisa muito ruim. Sentia isso na sua pança!

Por uma abertura no teto do salão principal, em cima do globo terrestre, apareceu a lua e Noel perguntou ao Homem da lua o que iriam fazer. A lua iluminou o centro da sala onde apareceu um cristal que indicava a eles o novo Guardião para ajudá-los: Jack Frost.

Todos ficaram surpresos, principalmente Coelho da Páscoa que não gostava muito de Jack.

“Ele só quer diversão, congela canos, atrapalha a caçada aos ovos, só pensa nele, não nas crianças. É egoísta. ”

Não tão longe dali, Jack estava se divertindo congelando coisas e atrapalhando um pouco as pessoas. Olhava as crianças brincando e um menino chamado Jamie. Jack jogou uma bola de neve em Jamie que achava que eram os seus amigos e começaram a brincar de guerra de bolas de neve. Mais tarde, quando foi dormir, Jamie perdeu um dente e o colocou debaixo do travesseiro. Queria esperar a Fada dos Dentes acordado.

Jack, olhando aquela cena, falou com a lua que ele tem feito de tudo, e mesmo assim ninguém o vê.

– Se eu estiver fazendo algo errado é só falar.

Mas Jack não tinha resposta.

Ele passou a observar o Homem de Areia com seus raios dourados visitar os sonhos das crianças. Foi então que viu Bicho Papão surgir no sonho de uma criança e transformar o pônei dourado do Homem de Areia em um cavalo preto. Queria que as crianças tivessem medo.

Bem nesta hora, o Coelho da Páscoa apareceu com os ajudantes de Papai Noel, pegaram Jack e o levaram por um portal mágico.

Na fábrica de brinquedos Noel os aguardava. Apresentou os Guardiões a Jack que não sabia o que fazia ali. Noel respondeu que Jack passou a ser um Guardião.

Jack perguntou porque iria querer ser um Guardião?

Noel riu: “ É claro que quer! ”

Jack disse que os Guardiões ralavam muito e ele gostava era de diversão.

A Fada do Dente então explicou a Jack o que faziam.

– Cada luz no globo terrestre é uma criança.

– Que acredita! Completou Noel. Boas ou más, malcriadas ou generosas. Nós as protegemos.

Papai Noel revelou a Jack que quem o escolheu foi o Homem da lua. Mas Jack não queria aceitar ser um Guardião que ficava enfurnado arranjando um jeito de subornar as crianças. Não era para ele essa missão.

Coelho ficou brabo e discutiu com Jack dizendo a ele que não sabia o que era levar alegria às crianças.

Jack respondeu que as crianças adoravam dia de neve, se divertiam.

Coelho disse que ninguém acreditava em Jack, era invisível, como se não existisse.

A Fada dos Dentes encerrou a discussão e Noel chamou Jack para um passeio na fábrica.

Chegaram a uma sala particular de Noel.

Noel perguntou a Jack: Quem ele era? Qual a sua essência? Se o Homem da lua o escolheu devia trazer algo muito especial dentro de si.

Jack emudeceu.

Noel pegou uma Matrioska, com cara de Papai Noel e perguntou a Jack como o via.

Grande e intimidador? Disse Noel. Mas se o conhecesse melhor…

Jack tirou de dentro da Matrioska outro boneco Noel e disse:

– Você é um bonachão.

Jack tirou outro de dentro deste.

Noel disse:

– Não só bonachão, também sou misterioso.

Jack tirou mais outro e Noel comentou:

– Destemido…

Jack tirou outro

– Protetor

No último boneco bem pequenino, Noel perguntou:

– E a minha essência? Olhe de perto, o que vê?

– Tem olhos grandes. Disse Jack.

– Isso! Disse Noel. Olhos muito grandes! Porque são repletos de encanto! Essa é a minha essência! Eu nasci com isso. Com olhos que veem encanto em tudo. Esse encanto é minha contribuição para o mundo. E é o que protejo nas crianças. É o que me torna um Guardião.

– E a sua essência Jack? Perguntou Noel.

Jack apenas respondeu, desolado, que não sabia.

O Coelho da Páscoa apareceu e falou, muito preocupado, que havia confusão no palácio das fadas. Saíram todos de trenó até lá e viram que cavalos de areia preta estavam levando todas as fadinhas e seus dentes.

Breu apareceu satisfeito porque reuniu todos Guardiões. Fada exigiu que ele devolvesse todas fadas. Mas não adiantou.

Noel perguntou a Breu porque estava fazendo isso e ele respondeu que talvez quisesse o que eles tinham. Que acreditassem nele. Estava cansado de se esconder debaixo das camas.

Breu mostrou que as crianças estavam acordando e vendo que a Fada dos Dentes não tinha aparecido.

Fada percebeu, triste, que as crianças não estavam mais acreditando nela.

Breu disse que era ótimo ser Guardião. Mas se as crianças parassem de acreditar em tudo o que eles protegiam, encanto, esperança e sonhos, tudo acabaria. E aos poucos, os Guardiões também acabariam.

– Nada de Natal ou Páscoa ou fadinhas que vêm à noite. Haverá apenas medo e escuridão. E eu! Disse Breu. É a vez de vocês ficarem desacreditados!

Todos atacaram Breu, que fugiu.

Jack perguntou à Fada porque Breu levou os dentes. Ela revelou que os dentes continham os sonhos das crianças; e quando alguém precisava de alguma lembrança elas ajudavam. Fada disse a Jack que guardavam as lembranças dele também.

Jack se surpreendeu e Fada também porque Jack não lembrava de ter tido uma família.

Jack queria ver suas lembranças, mas Fada disse que Breu as levou com ele.

Todos resolveram recuperar os dentes com a ajuda de Jack, que poderia ver suas lembranças.

Desta vez, Jack aceitou ajudar os Guardiões.

Eles foram às casas das crianças colocar moedinhas embaixo dos travesseiros e pegar seus dentes.

Mas Breu descobriu tudo e atacou os Guardiões. Foi terrível!

O Homem de Areia ficou com medo do ataque de Breu e sem sonhos. Os sonhos das crianças se transformaram em pesadelos!

Jack congelou uma onda enorme de cavalos pretos e sumiu com todos no portal.

Noel disse a Jack que ele os salvou e agora era um deles.

Jack se perguntou:

– Como posso saber quem sou sem saber quem eu era?

Noel disse que ele saberia e que sentia isso em sua pança!

As luzes na terra começaram a se apagar rapidamente. Fada disse que era o medo!

Jack falou que Breu desequilibrou a balança e Coelho se sentiu derrotado.

Os Guardiões combinaram que fariam de tudo para reacender as luzes, pois no outro dia seria Páscoa.

Chegaram à toca de Coelho e uma menininha chamada Sofia estava lá. Não sabiam o que fazer. Noel disse que levavam alegrias para as crianças e não tinham tempo para elas.

Jack jogou um cristal de neve nos olhos de Coelho que convidou Sofia para pintar os ovos.

Sofia ficou com sono e Jack a levou no colo, para casa, dormindo.

Jack se preparava para voltar e ajudar os Guardiões com os ovos de Páscoa a tempo para entregá-los, mas ouviu uma voz conhecida o chamando ao longe. “Jack, Jack, Jack? ”

Ele foi atrás da voz e entrou em um túnel descobrindo todas as fadinhas presas em gaiolas.

Ouviu novamente o chamado de seu nome e Breu apareceu dizendo que sabia qual o medo de Jack e de todas as pessoas.

O medo era que não acreditassem nele. Tinha medo de nunca saber porque foi escolhido para ser assim.

Breu mostrou as lembranças de Jack que estavam em sua mão.

Disse que Jack queria saber porque era invisível, sem contato com as pessoas. E tinha medo de decepcionar os Guardiões. Jack só sabia fazer bagunça e estava fazendo agora. Ele entregou as lembranças à Jack e perguntou: “O que você fez sumindo? ” Jack o atacou, mas Breu sumiu.

Jack voltou e viu todos ovos de Páscoa quebrados. Viu as crianças procurando os ovos sem achá-los. Começavam a falar que o Coelho da Páscoa não existia.

Coelho apareceu, mas as crianças não o enxergavam, atravessavam ele e Coelho ficou triste e bem pequenininho.

Noel perguntou à Jack onde esteve e contou que os cavalos de Breu quebraram todos ovos.

Fada viu que Jack estava com suas memórias na mão.

Noel perguntou se esteve com Breu e Jack tentou se explicar, mas todos desconfiaram dele.

Coelho disse que a Páscoa significava recomeço, vida nova, esperança. E a esperança se foi.

Jack foi embora se sentindo triste e culpado.

As crianças não acreditavam mais no Coelho da Páscoa e começaram a ter pesadelos.

Breu apareceu para Jack, que brigou com ele.

Breu disse que sabia como Jack se sentia em todos seus anos de sombra. Sendo desacreditado, querendo uma família.

Breu tentou conquistar a confiança de Jack dizendo que acreditariam nos dois, pois nada combinava mais do que frio e escuridão.

Jack respondeu que as crianças teriam medo deles e não era isso o que queria.

Breu se irritou e pediu o cajado de Jack em troca da fadinha que estava com ele.

Jack entregou o cajado, Breu o quebrou e como não tinha palavra, jogou a fadinha e Jack longe.

Jack se entristeceu e disse que só fazia bagunça. Juntou a fadinha do chão e a colocou em seu bolso.

Ouviu novamente a voz chamando seu nome e acessou suas memórias.

Se viu brincando, fazendo palhaçadas, e à sua irmã mais nova indo patinar no lago congelado.

De repente, o gelo começou a rachar e sua irmã corria risco de se afogar. Ele a ajudou puxando-a com um cajado, salvando ela, mas acabou caindo no lago frio e escuro.

Jack se deu conta que tinha uma família, uma irmã e a salvou. Ele era um Guardião.

Se sentiu mais confiante, consertou seu cajado e saiu dali.

Breu entrou na oficina de Noel.

Na terra só restavam seis crianças (luzes) que acreditavam nos Guardiões. Breu foi fazendo uma a uma desacreditarem.

Menos Jamie, que viu o Coelho da Páscoa e conseguiu ver Jack que apareceu em seu quarto.

Sabia quem ele era, o chamou de Jack Frost.

Jack ficou feliz.

Noel, Fada, Coelho, Homem de Areia, todos apareceram para Jamie, a última luz.

Breu apareceu e lutou com Jack.

Jack tentou derrotá-lo, mas não conseguiu, pois Breu estava mais forte.

Jamie disse que estava com medo.

Jack falou que iriam se divertir e descobriu, assim, que essa era sua essência.

Ele jogou uma bola de neve em Breu e fez Jamie rir.

Jack e Jamie chamaram todas as crianças para brincar na neve.

As crianças voltaram a acreditar, mas ficaram com medo.

Jack disse a Jamie que eram só pesadelos.

As crianças disseram que iriam proteger os Guardiões.

No momento em que os cavalos pretos atacaram, Homem de Areia rodeou todos com seus raios de areia dourada.

Os ajudantes de Noel também lutaram contra os cavalos.

Homem de Areia conseguiu vencer Breu e espalhou sonhos dourados nas crianças.

As luzes voltaram a brilhar!

Breu tentou fugir e disse que sempre haverá medo.

Para Noel não tinha problema, desde que uma criança acreditasse, iriam combater o medo.

Breu então ficou com medo e os seus cavalos o atacaram.

Apareceu a lua e Jack se tornou um Guardião oficial.

Noel leu o juramento:

 

“Você, Jack Frost, jura cuidar das crianças do mundo todo protegendo com sua vida as esperanças, anseios e sonhos delas? Pois elas são tudo que temos, tudo que somos e tudo que seremos.”

 

Jack fez o juramento e se tornou um Guardião.

 

RESUMO DO FILME: A ORIGEM DOS GUARDIÕES

(DreamWorks  Animation, 2012).